Publicado por: Raphael Godoy | 19 fevereiro , 2013

Olha lá

var _gaq = _gaq || [];
_gaq.push([‘_setAccount’, ‘UA-33450078-1’]);
_gaq.push([‘_trackPageview’]);

(function() {
var ga = document.createElement(‘script’); ga.type = ‘text/javascript’; ga.async = true;
ga.src = (‘https:’ == document.location.protocol ? ‘https://ssl’ : ‘http://www’) + ‘.google-analytics.com/ga.js’;
var s = document.getElementsByTagName(‘script’)[0]; s.parentNode.insertBefore(ga, s);
})();

– Olha lá, quem vem lá.
– Quem?
– Alguém que parece não ter aonde ir.
– Mas se ele vem, já está indo para algum lugar.
– Mas nem todo mundo que vai a algum lugar, sabe exatamente aonde quer chegar.
– E se ele souber?
– Não sabe.
– Como sabe?
– Não sei. Sinto.
– E você, sabe para onde está indo?
– Não. E quem sabe?
– Eu sei.
– Mesmo? E para onde vai?
– Ao encontro do meu destino. Um futuro brilhante, uma carreira vitoriosa, família exemplar, muita alegria. Viagens inesquecíveis, comer nos melhores restaurantes, repousar nos melhores hotéis, apreciar as mais lindas paisagens.
– E por qual caminho vai chegar lá?
– Não importa. O que importa é chegar. E você? Que não sabe onde quer chegar, por qual caminho anda?
– Ando pelo caminho que me permite desfrutar de todos os prazeres que um dia você almeja ter. Tenho meu emprego que me fornece meu sustento, tenho minha esposa e filhos que estão sempre por perto, tenho a alegria de conversas como esta que temos agora. Já viajei a tantos lugares por meio de livros e prosas, já descansei debaixo de uma grande árvore e todo dia Deus me brinda com o nascer e por-do-sol, que a cada dia me parece mais maravilhoso.
– E aonde este caminho vai te levar?
– Não sei ao certo. Não me preocupo com o destino. Se o caminho pelo qual ando já me proporciona tantas alegrias, porque me preocupar com o ponto final?
– Não é apenas o ponto final. É também o seu legado, o que você deixa para o mundo. Como será lembrado. Deixar sua marca e enfim poder descansar. Terminar a viagem com a sensação de dever cumprido.
– Não me preocupo com estas coisas. Apenas penso no caminho, quais as melhores escolhas, por onde devo passar, quem irei encontrar, quantas vezes irei ver o mesmo por do sol e quantas vezes irei reconhecê-lo. Importo-me em aprender e em ensinar e também em fazer diferença na vida das pessoas. Não quero deixar uma marca para o mundo, mas, se eu fizer a diferença para quem eu menos esperar já me sinto feliz de ter passado por ali.
– E quando chegar ao fim do caminho? O que espera que digam de você? Não se importa com isto?
– Porque haveria de me importar? Nem sequer estarei lá para escutar.
– E nosso amigo que a esta altura já vai longe? Onde será que vai? Com o que será que se importa?
– Deve estar fazendo a diferença para a vida de alguém.
– Como sabe? Ou melhor, porque sente isto?
– Basta ver o passo cansado depois de um dia de trabalho, e ainda assim o sorriso no rosto que não esconde sua alma. Você viu a aliança em sua mão? Homem casado, e o embrulho colorido deve ser para sua criança. E aquele olhar que enxerga longe não vivencia só o agora, mas vê em cada folha que cai um grande sentido de divindade.
– Como viu isto tudo em tão pouco tempo?
– Não vi. Senti. Pois viver não se resume aos sentidos físicos, e sim, como eles se interagem com sua alma. E a alma, meu amigo, esta não se engana.

Anúncios

Responses

  1. A vida não foi feita para ser dominada, mas sim para que possamos extrair vivência da mesma. Belo texto!!


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: