Publicado por: Raphael Godoy | 26 março , 2009

Duplicação BR-381

Novamente a BR-381 está em pauta. Enquanto todos querem uma solução rápida para um dos piores trechos da malha rodoviária do país, o governo federal cai em contradição com duas propostas que estão sendo postas em prática ao mesmo tempo para solucionar o problema.
O Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (DNIT), procura resolver o problema há anos. O DNIT já recebeu investimentos do Governo Federal para recuperação de trechos e algumas melhorias, mas nunca esteve tão perto de resolver o maior problema de todos: a falta de pista dupla em alguns locais da BR-381. Estudos apontam que dos 301 km de extensão da rodovia nem 20 km estão duplicados.

Já a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), encaminhou para o Tribunal de Contas da União (TCU) uma nova proposta que prevê a concessão de trechos da BR-381 para empresas privadas. A proposta levantou polêmica, pois prevê a instalação de quatro postos de pedágio antes mesmo da duplicação. No entanto, exige que no prazo de seis anos a rodovia esteja completamente duplicada.

Polêmicas e detalhes técnicos à parte, a melhor proposta acaba sendo aquela que atenda os anceios dos motoristas que trefegam diariamente pela região. Visão compartilhada, inclusive, pelo Inspetor da Polícia Rodoviária Federal, Mauro Carvalho. Outro detalhe a qual devemos nos atentar são os interesses políticos na duplicação.

Enquanto as obras estiverem nas mãos do governo, a duplicação da BR-381 será tema para campanha de deputados estaduais e federais. Com o trecho nas mãos de uma empresa privada, a duplicação sai do âmbito político e os deputados deverão atuar para que o contrato seja cumprido.

Prova destes interesses políticos puderam ser constatadas na reunião realizada na segunda-feira, na Associação dos Municípios do Médio Piracicaba (Amepi). Defendendo o projeto do Dnit estavam a carta do deputado José Santana, o ex-vereador Djalma Bastos (PPS) e que estava representando o deputado federal Alexandre Silveira (PPS) e Nozinho, prefeito e presidente da Amepi e que a apoia outro deputado que “trabalha” em favor da BR-381. Defendendo a possibilidade de uma conversa com a ANTT estavam Emerson Duarte, representante do prefeito Gustavo Prandini (PV) e Mauri Torres (PSDB). Resumindo esta ópera, aqueles que usaram a BR-381 durante anos como “promessa de eleição” querem seus nomes marcados como militantes pela duplicação. Aqueles que não usaram, preferem a solução mais pratica e rápida, que ao meu ver é a proposta da ANTT.

A população deve se informar para não cair na armadilha de políticos interesseiros, que visam votos ao invés de preservação de vidas. Sou a favor do pedágio antes da duplicação, pois há regras de segurana a serem seguidas como ambulancias e equipes de resgate em pontos estratégicos da BR. Além da exigencia da duplicação em 6 anos, o que conforme for a agilidade do processo, poderá ocorrer ainda no primeiro semestre de 2015. E duvido, que o Dnit faça em tempo menor.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: